Guerra e Paz é um grande clássico da literatura universal de Liev/Leon Tolstoi, publicado em 1867.

O segundo volume de Guerra e Paz retrata mais os aspetos referentes à guerra travada na Rússia por Napoleão Bonaparte.

Guerra e Paz (2ºvol)

O segundo volume, inicia-se com a quebra do acordo de paz, anteriormente estipulado entre Napoleão e Alexandre, e o começo da guerra. 

Outro aspeto deste volume, comparativamente ao primeiro, é que se torna muito mais descritivo e inclui mais reflexões pessoais do autor.

Fiquei com a sensação que Tolstoi escreveu o livro para enaltecer a postura russa na guerra, uma vez que, vemos uma narrativa muito descritiva relativamente à estratégia militar utilizada pelo grande general Kutuzov.

Kutuzov defendia que a guerra só seria ganha com tempo e paciência em oposição ao confronto direto contra o inimigo. As vidas eram mais importantes do que a retirada em campo de batalha. Este general reconhecia que o facto de o exercito francês ser mais numeroso que o exército russo era um factor decisivo para ter de adoptar esta sua postura militar.

Foi alvo de muitas criticas por parte de outros generais associados à campanha militar.  

O que acontece às personagens retratadas no livro?

Como é um livro muito extenso tenho a necessidade de analisar os acontecimentos tal como eles são retratados, para conseguir ter um fio condutor nesta análise que vos apresento.

Depois de vermos a declaração de guerra entre os dois imperadores começamos a conhecer a postura das diferentes personagens  relativamente a esta nova campanha militar.

André Bolkonski , que acabou o primeiro volume a referir que não se iria associar mais a nenhuma campanha militar, decide voltar a combater e alista-se a um cargo de maior perigo, pois tem o intuito de se encontrar com Anatole e vingar-se pela postura que este teve com a sua noiva.

Quando Anatole descobre que irá ter a companhia de André, decide trocar de regimento. Esta personagem só nos aparece duas vezes ao longo do livro. Esta primeira a dar a indicação que está na campanha militar e uma segunda quando se reencontra com André no hospital de campanha – ambos sofrem um grave ferimento de guerra e Anatole fica sem uma perna.

Quanto a André vai sofrer muito com este ferimento e volta-se a encontrar com Natacha, já na fase final da sua vida.

Nicolau é promovido a capitão e neste segundo volume, é narrado algumas aventuras suas. Conhece a irmã de André, Maria, pois salva-a de uma revolta que estava a ser vitima, por parte dos seus subordinados.

Nicolau desenvolve por Maria um sentimento de afeição, e quando a guerra termina, casam-se e têm filhos. Quebra o juramento com Sónia de se casar com ela, mas mantém-a sempre por perto acabando por não ter um comportamento muito bonito com a ex noiva.

Natacha aparece-nos neste segundo volume como estando muito doente, devido à infelicidade que causou ao noivo e ao arrependimento que sente pela sua atitude. Depois de ser vista por vários médicos e de começar a recuperar, vê-se obrigada a fugir de Moscovo com toda a sua família devido à proximidade do inimigo com a cidade. Nesta fuga de Moscovo reencontra-se com André, que é um dos feridos que viaja para fugir ao inimigo, e decide cuidar dele com toda a sua atenção.

André não resiste ao ferimento e Natacha volta a mergulhar numa tristeza profunda e encontra reconforto na irmã de André – Maria. No primeiro volume é-nos referido que as duas não se dão muito bem, mas devido ao luto que ambas têm que passar tornam-se as melhores amigas.

Enquanto gere este processo de luto, e quando a guerra termina, recebe a proposta de casamento de Pedro Besukov e aceita. Tal como Maria constitui família e muda completamente a sua postura.

Helena, a primeira mulher de Pedro, tenta-se divorciar do marido por se sentir desprotegida, e arranja uma forma de se voltar a casar com um de dois pretendentes que rondavam a sua casa. Faz deste seu desejo de casar como tendo partido dos próprios pretendentes de forma a não ficar mal vista na sociedade.  Este seu esquema não lhe sai como pretende e acaba por morrer com excesso de medicação, deixando Pedro viúvo e não divorciado.

Pedro foi o mias inquieto das personagens e apareceu no livro em algumas situações bastante caricatas. Inconformado com toda a situação da sua pátria, decide ir ver a guerra de perto colocando-se em perigo algumas vezes. Regressa a Moscovo e quando o inimigo invade a cidade decide que se irá manter na capital e não a abandona, pois tem na ideia  de que será ele quem vai matar Napoleão. É capturado e feito refém pelo inimigo e quase que é morto. É libertado por um grupo de guerrilha russo e volta à sua vida habitual. Encontra-se com Natacha e Maria, fica a saber da morte da sua mulher e da morte do amigo e decide casar com Natacha.

E quanto à guerra retratada no livro?

O livro retrata os grandes feitos de Napoleão na conquista de terras até chegar a Moscovo. A invasão dos seus militares em Moscovo é surreal pois toda a cidade está a arder. Os russos na impossibilidade de manter a cidade no seu domínio decidem queimar tudo e impossibilitar que os franceses restabeleçam força.

Para mim Kutuzov é quem tem o papel mais importante nesta narrativa, não só ele estava certo em afirmar que para ganhar esta guerra eles tinham de ter paciência e confiar que o tempo era o maior trunfo, como também em defender que o confronto direto com os militares franceses não iriam trazer a vitória da Rússia.

Napoleão viu-se obrigado a recuar, devido ao frio, à fome e ao estado dos seus militares e foi isso que fez a vitória da Rússia. Como todos sabemos os militares Russos eram em número inferior comparados com os militares Franceses.

Tolstoi apresenta muito as suas reflexões no livro, a forma como ele próprio viu a guerra comparativamente à sociedade, analisa também a postura dos historiadores na análise desta fase da história, tornando a parte final do livro muito mais critica.

 

Espero que leiam Guerra e Paz, apesar de este segundo volume ser mais complexo devido às questões da guerra, o livro é espetacular.

Boas leituras e boas análises!

Fátima Costa

Fátima Costa

Educadora Social, desportista por hobby e leitora por paixão.

Este é um espaço de partilha de opinião acerca das leituras que realizei e que tem como objetivo a estimulação da vossa leitura.

Fátima Costa

Os que mais gostei
Categorias
background-header

Clássica

Análise a Romances

background-header

Fantástica

Análise a Romances

background-header

Romance

Análise a Romances